Independente de se gostar, ou não, de futebol, torcer por um ou outro time, o exemplo que o novo campeão brasileiro deu neste ano é algo que merece uma reflexão, por ser um case que pode ser compreendido e adotado por empresas.

Essa equipe estava desmotivada por desclassificações recentes, o clube tinha de arcar com o pagamento mensal de parcelas altas pela construção de seu estádio, salários atrasados e um mercado em crise que dificultava muito a arrecadação, fosse através de bilheteria ou de patrocínio. Alguns de seus melhores atletas, que ainda tinham um papel de liderança no grupo, optaram por outros caminhos e deixaram o time.

O clube (empresa) contava, porém, com um técnico (gestor) que assumiu para si o papel de mudar essa situação. Para isso, montou  um novo planejamento onde  os  atletas (funcionários) passariam a não mais serem chamados de  titulares ou reservas. Todos  passariam a  ter  a mesma responsabilidade no desempenho em campo, das funções táticas definidas em conjunto. Todos deveriam performar igualmente, pois  o  sucesso estaria na  forma estratégica de atuar (processos), fosse quem fosse escalado e, não mais, no simples desempenho individual de cada jogador (colaborador). Cada um  assumiria  a  responsabilidade de fazer o processo tático acontecer (empoderamento).

Absorvidos os ensinamentos e treinados para isso (capacitação), como uma verdadeira equipe, uma engrenagem azeitada, sem disputas internas, com espírito de integração e foco bem definido, o time foi se aprimorando    a cada rodada e um ciclo virtuoso se instalou: melhores resultados, mais arrecadação, mais patrocínios e salá rios postos em dia, sem falar da satisfação da torcida (clientes).

Uma crise foi transformada em oportunidade de mudança inovado ra e se concretizou como um feito memorável pelos resultados alcançados em todos os números que medem um campeonato (indicadores de desempenho).

As empresas se referem aos funcionários como “times”. A bola  está em jogo! Seja um líder tático de um time campeão.

Inove!

Paulo Ancona

Diretor da Consultoria Vecchi Ancona – Inteligência Estratégica.