Dentre tantos desafios enfrentados por todas as empresas a competitividade empresarial  é  aquele que tira o sono de muitos CEOs. Existem vários fatores que determinam o grau de competitividade no ambiente em que as empresas estão inseridas, já que disputam o mesmo mercado com produtos e serviços semelhantes.

Para serem competitivas, as empresas devem possuir uma gestão eficiente, além de ter alta capacidade de geração de negócios e de inovar na solução de produtos, serviços e processos. A excelência na gestão independe do cenário econômico. As empresas não devem se preocupar com a competitividade apenas em momentos de crise. Gestão, capacidade de geração de negócios e inovação deve fazer parte do dia-a-dia das empresas.

O grau de competitividade é composto por diversos fatores que acabam influenciando no mercado, como capacidade de inovação, qualidade de produtos ou serviços,  posicionamento comercial, eficiência de processos, entre outros. É fundamental que a empresa conheça o mercado e tenha estratégia para as oportunidades relacionadas aos fatores de competitividade, sejam eles internos ou externos.

Uma empresa que não conhece seu mercado e seus concorrentes tende a obter resultados inferiores ao desejado. É fundamental que se conheça o mercado, analisando o passado e o presente e avaliando as tendências futuras.

Internamente, a empresa deve possuir um sistema de gestão que garanta a previsibilidade e melhoria contínua dos seus resultados. Citando como exemplo o processo Industrial, o mesmo para ser competitivo deve apresentar estabilidade e resultados que sejam diferenciados em relação aos seus concorrentes.  Para isso, é fundamental que a empresa tenha referências dos principais indicadores do processo, calculando as lacunas e traçando as metas necessárias para a competitividade empresarial, extraindo a máxima eficiência dos seus ativos. As metas devem ser suportadas por plano de ação, utilizando as diversas metodologias, como Seis Sigma, MASP, entre outras.

Além de buscar as referências internacionais ou nacionais, existem outras métricas de gestão que podem ajudar as empresas a serem mais competitivas, como por exemplo métricas associadas a produtividade. No Brasil, no mínimo todo ano temos repasse de inflação no custo de pessoal e por isso precisamos analisar o processo de forma diferente sem que tenha perda de estabilidade. Várias análises podem ser feitas para identificar oportunidades, como por exemplo:

 

– Qual a relação de Líderes x Colaboradores? Existem muitas diferenças entre os processos? Qual a análise do resultado frente aos concorrentes?

– Qual a relação de QL de Apoio x QL Operacional? Existem oportunidades nos diferentes processos?

– Qual a relação de QL de Manutenção x QL Total? É possível ter uma equipe de Manutenção mais enxutas em processos menos críticos?

– Como anda a faixa salarial em relação ao mercado? É possível fazer ajustes?

– A estrutura de cargos está em formato de pirâmide ? A maior parte dos colaboradores estão agrupados na base da pirâmide ? O topo da pirâmide é formado por posições de conhecimento técnico mais elevado?

– O perfil desejado de cada posto de trabalho é o mais competitivo ao negócio? Não existem posto de trabalho que o perfil poderia ser ajustado?

Importante que, antes de tomar qualquer decisão, os riscos sejam mapeados e gerenciados para que não tenham um efeito colateral negativo com forte impacto no processo. Toda modificação deve ser analisada, garantindo o gerenciamento da rotina do dia-a-dia.

A competitividade também está relacionada com a capacidade de investimentos da empresa. Em um cenário com restrições de recursos, a empresa deve buscar outras fontes de financiamento. Hoje em dia existem diversas empresas que atuam no mercado de forma mais parceira em uma relação de ganha-ganha.

Por fim, a empresa para ser competitiva nunca pode entrar em uma zona de conforto. O sucesso do passado não garante os resultados do futuro. A empresa deve continuamente inovar e gerar novos negócios. E seu proposito deve direcionar a sua estratégia de longo prazo.

Leonardo Fonseca é Sócio-Diretor da Fábrica Escondida Consultoria de Gestão para Resultados e especialista em Excelência Operacional, Melhoria Contínua e Gestão.

 

Celular (11) 99228-5663

Aproveite ao máximo o conteúdo deste artigo com nossas sugestões de leitura!