Por Sidney Botelho*

Hoje a comunicação modernizou. Com o advento e as inovações das redes sociais, a globalização possibilitou que as pessoas entendam de tudo simultaneamente e, ao piscar os olhos, o conhecimento fica obsoleto. Para o mestre de cerimônias, não foi diferente: ou se adéqua ou ficará inapropriado ao mercado.

O conhecimento foi o principal requisito para me tornar o profissional que me tornei. Graças ao aprimoramento técnico que obtive com a vivência do dia a dia, nas oportunidades em que utilizei a linguagem que meu cliente desejava ouvir, adequando-me em cada situação e aprendendo o mais importante, improvisar.

O mestre de cerimônias tem que saber lidar com públicos heterogêneos e isso não é fácil para um comunicador, pois envolve variáveis que podem ajudar ou atrapalhar a sua apresentação.

Nestes quinze anos, são mais de três mil eventos apresentados na minha carreira de mestre de cerimônias, nos quais me apresentei para os mais variados públicos possíveis e de diversas classes sociais e intelectuais, sempre com a mesma alegria. Quando digo alegria, é a capacidade de mudar a vida das pessoas através das palavras proferidas.

Mas não é fácil alcançar o êxito nos eventos, o aprimoramento deve ser contínuo. Em uma COLAÇÃO DE GRAU, temos a seriedade da conclusão de um objetivo acadêmico, a emoção e a euforia de querer festejar, além da alegria e do orgulho dos pais e familiares. Mas temos que seguir as regras, com harmonia e carinho nas palavras, sem que seja necessário manter o ar do cerimonial engessado e nada dinâmico.

No BAILE DE GALA, a felicidade se faz presente desde a chegada dos formandos e seus convidados. Diante das circunstâncias que cercam a noite de comemoração, o mestre de cerimônias tem que se sentir muito presente para que não ofusque, com suas palavras, o contagiante momento que toma conta daqueles que estão apreciando o êxito dos concluintes.

No BAILE DE DEBUTANTE, o mestre de cerimônias tem que conhecer o processo e a dinâmica do evento, para que suas palavras se unam aos momentos vividos pela garota que comemora os seus quinze anos. O profissional do microfone tem que se adequar ao perfil da família, da festa e do público que assiste à cerimônia, senão será apenas mais um anunciador de nomes.

No CASAMENTO, descobri a essência de fazer as pessoas felizes. Não há uma receita para o bolo, mas a emoção de proferir as palavras que vêm do coração. O maior presente aos noivos é sentir que são bem recebidos como uma nova família e que são amados por aqueles que os cercam.

No EVENTO CORPORATIVO, o mestre de cerimônias tem simplesmente de conhecer o público, o produto, o serviço, os valores e a missão da empresa, para servir como base para qualquer tipo de improviso que fizer. O profissional tem que se sentir à vontade com o roteiro para que possa improvisar com sabedoria sem descaracterizar o evento.

O mundo mudou e a forma de se expressar também. Não há mais espaço para o mestre de cerimônias com voz impostada, sem fluidez, sendo apenas uma ferramenta de leitura de roteiro ou textos pré-definidos.

Hoje o mercado de eventos pede um profissional com habilidades diversas para qualquer situação. Nenhum segmento aceita aventureiros sem preparação e a experiência vem com o tempo de prática, não apenas com teoria.

Tudo que escrevi foi com base no meu dia a dia. A teoria sempre existiu, mas o que demonstra o potencial são as circunstâncias dos momentos em cada evento vivenciado.

Nos eventos descritos, simulei as situações que o mestre de cerimônias terá com o exercício da profissão. Afirmo que a dinâmica apresentada é para que o evento tenha qualidade e seja prático, mas sem perder a essência, que é cumprir o objetivo de informar e emocionar, em suas peculiaridades.

Acredito que ser mestre de cerimônias é saber ter postura, técnica, comprometimento, conhecimentos cerimonial e protocolar, conhecer o seu público, saber que, mesmo na condução do evento, conhecê-lo como um todo, como um gestor e não somente um apresentador.

“EU VIVO O EVENTO”, frase que eternizei com os anos de profissão. A entrega é mais importante do que encerrar o evento apenas por encerrá-lo. O resultado é crer que a satisfação venha com um aperto de mão de um empresário, o sorriso de um jovem acadêmico, as lágrimas de pais e familiares, o brilho do olhar de uma debutante e as mãos dadas do casal que forma uma família.

Quando fui convidado a seguir na profissão de mestre de cerimônias, eu apenas queria ser visto para ser um grande comunicador, mas os cinco primeiros eventos me mostraram que o melhor prêmio que receberia seria apreciar a felicidade das pessoas.

Hoje sou feliz, porque curto, compartilho, divirto-me e cumpro meu dever de comunicar e fortalecer a cada palavra proferida, o que os comunicadores deveriam fazer, gerando a paz, a harmonia e a alegria entre as pessoas.

O bom da profissão é que nenhum evento é igual ao outro e, mesmo que o roteiro seja semelhante, o público é diferente e a atmosfera criada faz com que criemos a cada fração de segundos.

O mestre de cerimônias não pode se prender ao texto pré-definido, mas ser original, autêntico, mostrando assim a diversidade do seu talento.

O diferencial se faz com atitude e ação. Em qualquer profissão, o destaque se dará por doação e dedicação, independente das técnicas adquiridas. O amplo treinamento o fará mais tranquilo, seguro, passando credibilidade aos contratantes.

Credibilidade se conquista, não se compra. Então, busque o seu espaço, seja um mestre de cerimônias completo, brinque com as palavras, escreva, leia, comunique-se, seja alternativo com tudo e todos. O resultado será o sucesso e o reconhecimento.

O sucesso não consiste em ser melhor que o outro, é saber que você chegou ao seu extremo e ao seu limite e, diante do seu esforço, obteve a satisfação de que o dever foi cumprido: o de transformar vidas por meio das suas palavras. Isso é mestralizar!

E a mim só cabe agradecer a você, por me dar a oportunidade de expressão por intermédio deste livro, escrito com a minha visão. Acredite que tudo que escrevi foi o que verdadeiramente vivi nas tribunas e nos palcos dos inúmeros auditórios em que estive.

Seja sempre feliz e use as palavras com sapiência, VIVA O EVENTO e vá ALÉM DO MICROFONE!

*Sidney Botelho

Autor do livro Além do microfone pela Literare Books, obra que aborda os desafios, a importância de uma comunicação eficaz e o dia a dia como mestre de cerimônias. Botelho possui mais de 18 anos de carreira na área de comunicação e 3000 eventos, além de ser jornalista, radialista e apresentador.

Aproveite ao máximo o conteúdo deste artigo com nossas sugestões de leitura!