1 – Conquiste a atenção dos ouvintes logo no início.

Se você não conseguir conquistar a atenção dos ouvintes logo no início, dificilmente será possível reverter a situação ao longo da fala. Você deve planejar bem o que pretende dizer no início para conquistar rápido a atenção.

Alguns recursos excelentes para conquistar a atenção: mostrar o benefício que os ouvintes terão com a mensagem. Contar uma pequena história interessante. Lançar mão de uma frase de impacto. Fazer uso da presença de espírito, exagerando uma informação para transformá-la em um fato bem-humorado. Instigar com uma reflexão relevante.

2 – Comece a falar sabendo o que vai dizer no final.

Um dos maiores problemas na comunicação é começar a contar uma história, por exemplo, e não saber o que irá dizer no final. É muito comum, depois de até ter iniciado bem, no meio da história ficar inseguro porque não tem ideia de como concluir.

Por isso, fique atento. O receio de se mostrar perdido por falta da conclusão pode provocar uma descarga de adrenalina que o deixará nervoso e sem ação diante dos ouvintes. Ao iniciar saiba bem o que pretende dizer no final.

3 – Evite fugir com os olhos. Também não encare fixamente o interlocutor.

Se você fugir com o solhos enquanto conversa, corre o risco de passar imagem de ser inibido, desinteressado, inseguro.  De maneira geral, a consequência é quase sempre negativa.

Por outro lado, se você falar encarando o interlocutor, poderá parecer invasivo e inconveniente. Portanto, ao conversar, não fuja com os olhos, nem encare o interlocutor.

4 – Sua comunicação e comportamento devem estar de acordo com sua atividade profissional.

Afinal, como você deve se comportar? De maneira formal ou informal? Ser informal não significa se comportar com erros e negligências. Da mesma forma que ser formal não pressupõe comportamento rígido e inflexível. O importante é que sendo formal ou informal você se comporte sempre com naturalidade. Tudo dependerá da circunstância e da sua atividade profissional.

5 – Observe se há coerência entre o que comunica com as palavras e com o semblante.

Não é tão raro uma pessoa dizer que está triste mantendo o semblante arejado e até sorridente. Cuidado, pois ao tentar ser simpático, pode não perceber que a mensagem exige nessas circunstâncias senão um semblante entristecido, pelo menos sério e quase impassível. Da mesma forma, às vezes, pode não se dar conta de que não deveria se apresentar com o semblante pesado e até triste quando fala em alegria, vitórias e conquistas.

6 – Quebre as resistências devagar, mas logo no início.

Se você perceber que enfrentará resistências dos ouvintes com relação à proposta que irá apresentar, não inicie dando sua opinião. Verifique quais são os pontos comuns que possui com a plateia e inicie tocando nesses pontos, demonstrando assim que a forma de pensar é a mesma. Dessa maneira o público se desarmará, perderá a resistência e ouvirá sua proposta de forma mais benevolente. As chances de sucesso serão maiores.

Reinaldo Polito

Mestre em Ciências da Comunicação, professor de oratória, palestrante e escritor. É professor de comunicação oral no curso de pós-graduação de Gestão Estratégica em Comunicação Organizacional e Relações Públicas, da ECA-USP. Publicou 25 livros com mais de um milhão de exemplares vendidos em todo o mundo. Seis de suas obras entraram para as listas dos livros mais vendidos do país. Seu site www.polito.com.br

→ Aproveite ao máximo o conteúdo deste artigo com nossas indicações de leitura

treinamentos_comportamentais  9788563178909