Robert Dilts, um dos grandes desenvolvedores da PNL e nomes do Coaching da atualidade nos lembra que: “As habilidades e ferramentas da PNL são unicamente cabíveis para a promoção de um Coaching efetivo. O foco da PNL em metas bem formuladas, seus fundamentos na modelagem de pessoas com desempenhos excepcionais e sua habilidade para produzir um processo passo-a-passo para promover excelência, fazem com que ela seja um dos mais importantes e poderosos recursos para a prática do Coaching”.

Em outra citação do mesmo livro “From Coach to Awakener”, Dilts faz uma distinção entre fazer Coaching com “c” (c minúsculo) e fazer Coaching com “C”(C maiúsculo). O primeiro modo é o Coaching Comportamental para ajudar alguém a conseguir uma meta, objetivo ou ter um desempenho particular e sua origem vem do treinamento esportivo. Já Coaching com “C” maiúsculo tem a ver com “atingir propósitos num nível bem abrangente, com mudanças gerativas, desenvolvimento e reforço da identidade e de valores trazem os sonhos e metas para a realidade. Isso envolve habilidades do Coaching com “c” mas também inclui muito mais”. Para Dilts, um dos propósitos do Coaching com “C” é dar a guarda e o suporte necessários para o desenvolvimento e crescimento do cliente.

Segundo ele, as ferramentas e técnicas as quais apoiam o Coaching efetivo incluem o estabelecimento de metas bem formuladas, o gerenciamento de estados internos, a tomada de diferentes posições perceptuais, a identificação de momentos de excelência, mapeamento de recursos, e o processo de dar feedbacks de qualidade.

PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA

É o estudo da estrutura da experiência subjetiva. Ela estuda os padrões (“programação”) criados pela interação entre o cérebro (“neuro”), a linguagem (“linguística”) e o corpo.

A PNL estuda como o cérebro e a mente funcionam, como criamos nossos pensamentos, sentimentos, estados emocionais e comportamentos e como podemos direcionar e aperfeiçoar esse processo.

Para os especialistas em Programação Neurolinguística Hall e Bodenhamer, A PNL anuncia seus “termos indefinidos” e crenças indefinidas na lista dos “Pressupostos da PNL”, os quais vieram de subjacentes teóricos encontra- dos nos sistemas dos quais foram modelados: Psicologia da Gestalt, Terapia de Sistemas familiares, Comunicação médica-hipnótica Ericksoniana, semântica geral, cibernética, sistemas de informação, gramática transformacional, psicologia cognitivo-comportamental e Antropologia Batesoniana. Os pressupostos da PNL servem como crenças as quais podem provocar reflexões e debates interessantes num processo de Coaching.

André Percia

Psicólogo clínico e hipnoterapeuta com formação internacional em Co- aching. Site: www.youtube.com/AndreperciaE-mail: apercia@terra.com.br

→ Aproveite ao máximo o conteúdo deste artigo com nossas indicações de leitura

coach_alta_perform_capa3dmanual_intelig_ncias-_2__1