Categoria: Coaching (page 1 of 10)

Fanático ou uma vida com propósito?

O mundo de hoje está em um frenesi total, muitos andam sem saber o seu real sentido de direção, constantemente nos deparamos com notícias de assassinatos e suicídio por se perder o valor da vida humana e a autovalorização. Ter um propósito na vida é extremamente essencial para encontra dentro de si razão para viver. Nós não nascemos somente para trabalhar e pagar contas, fomos formados para um propósito maior, que talvez nem o conheçamos, esse propósito se dá deste o ventre materno e nos persegue por toda uma vida. Alguns encontram seu propósito, outros vivem a vida toda somente para encontra-lo nos seus últimos dias de existência e há aqueles que nunca entenderão o porquê estiveram neste mundo. Os que entendem seu propósito persegue de forma determinada e constante, se esforçam ao máximo, entendem que haverá obstáculos e pessoas em seu caminho que irão apoiar e outras vão o desestimular, talvez porque não estejam olhando através de sua ótica. Outros dirão que você é fanático.

A etiologia da palavra “Fanático” veio do Latim FANATICUS, “louco, entusiasta, inspirado por algum deus”, originalmente “relativo a um templo”, FANUM. O fanático, parece que também tem um objetivo a ser seguido, são insistentes e persistentes, mas são insanos. Insano também do latim “insanus”, louco, demente, torturadores, extravagante, excessivo, que não está no domínio de suas faculdades mentais, ou seja, um transtorno que acometem aqueles que não ouvem, são imutáveis em seus objetivos, pode até agredir de forma física ou verbal outros.

A filosofia coloca o fanatismo dividido em três grandes classes: Política, Esporte e Religião. Se você parar e pensar verá que para cada uma dessas classes você terá um modelo do “ser fanático”. Porém, a palavra Propósito está ligada a um objetivo respeitando o limite de cada indivíduo para atingir sua meta. Há uma linha muito tênue entre “ser fanático” e “ter uma vida com propósito”, porque ambas as formas existem um objetivo a ser alcançado. Então como diferenciar esses dois tipos de pessoas? Penso e acredito que seja necessário olhar as ações ao redor das pessoas das seguintes formas:

1.º Poder do ouvir

Ouvir é uma arte que deve ser praticada por todos, há provérbios que diz: “ ouve, e torna-te sábio e dirige teu coração pelo caminho” “existe mais sabedoria no ouvir do que no mundo de falácia”, outro provérbio diz: “a língua pode ser uma espada mortal”. Ouvir atentamente o outro abrindo o coração e a mente pode fazer a diferença entre uma pessoa de vida com propósito e o fanático.

2.º Liberdade de auto expressão

A liberdade de auto expressão deve ser praticada e notada pelos que estão ao redor do indivíduo, mas se a auto expressão levar a danos físicos, mentais e morais, fugindo da ética da vida, está auto expressão esta prejudicada e compromete a linha entre propósito e fanatismo.

3.º Discernimento

O discernir entre o certo e o errado vai depender da sociedade onde o indivíduo está inserido, seus valores éticos e morais. Importante entender esta inserção, pois, é dali que surge o ponto de partida para o mundo entre o ser humano e a sociedade.

Finalizo aqui pensando, será que vivemos defendendo uma causa fanática e trazendo danos as pessoas? Ou nós vivemos uma vida com propósito para impactar positivamente a própria vida e os que estão ao redor? Ouça e tenha liberdade de auto expressão com discernimento, você decide em ser um fanático ou ter uma vida com propósito.

O que a Liga dos Campeões nos ensinou sobre Liderança

As semifinais da Champions League 2019 entre Ajax versus Tottenham e Barcelona versus Liverpool foram uma verdadeira demonstração de liderança, estratégia, vontade de vencer, trabalho em equipe, disciplina e superação.

Leia mais…

O melhor das pessoas na empresa

Cada vez mais as empresas estão descobrindo que é necessário despertar o melhor dos seus funcionários, estimulando sua espiritualidade e investindo na sua felicidade. A ideia, em grande parte das empresas ainda é rejeitada, porque há o entendimento de que está diretamente ligada a práticas religiosas, podendo ocasionar influências negativas e gerar conflitos internos, além da queda de produtividade.

Leia mais…

O quadrante do equilíbrio

Para uma pessoa viver plenamente com qualidade de vida e bem-estar, é importante que aprenda a interligar de forma harmônica os quatro pilares do equilíbrio: físico, mental, emocional e espiritual.

Leia mais…

Comportamento: como identificar e tirar resultados na sua organização.

No decorrer dos séculos se tem discutido sobre o comportamento humano e suas atitudes, principalmente em situações de estresse. Desde os Gregos que acreditavam que os comportamentos estavam relacionados aos elementos da natureza (água, ar, fogo e terra), passando por diversos filósofos, pensadores e estudiosos do comportamento do ser humano.

Leia mais…

Meus Pensamentos, Seus Pensamentos – Criando um ambiente propício aos pensamentos

Você já pensou em qual tipo de ambiente você cria à sua volta? Conheci esta abordagem em novembro de 2014, em um evento para conhecer os fundamentos e acabo de me certificar como Coach usando a metodologia Thinking EnvironmentTM. Podemos ouvir para iluminar o pensamento do Outro ou para responder, questionar ou perguntar. Ouvir mesmo, de verdade…

Leia mais…

Um novo ciclo na sua vida?

Certamente diferentes fases já se passaram na sua vida. E o que ficou de toda essa trajetória? Acertos e erros, vitórias e fracassos, alegrias e decepções, muito aprendizado. O importante é que você chegou até aqui.

Leia mais…

O que te motiva?

Eu não sei se você sabe o quão importante é saber essa resposta.

Motivação: é o motivo de agir, é ter clareza sobre isso. A motivação promove milagres, faz possível o impossível. Vem de valores, daqueles assuntos mais importantes para você. A satisfação de avançar um pouco mais na vida não tem preço. Lembre-se sempre de que a direção é mais importante do que a velocidade. Estar consciente da sua motivação é o que o sustenta na caminhada, é o que o impede de desistir. Somente com clareza você conseguirá tomar uma atitude de forma coerente rumo a sua felicidade. Nunca é tarde para recomeçar. Nunca é tarde para reencontrar suas paixões, seus sonhos ou fazer algo que sempre teve vontade. Prepare-se aos poucos, caminhe com alegria porque sorte, sorte mesmo é quando a preparação encontra a oportunidade. O caminho não é certo, linear, é justamente ao contrário, é cheio de idas e voltas, desvios, renúncias e recomeços de quantas vezes for preciso. O que realmente importa é quem você se torna enquanto busca por sua felicidade, são as experiências que acumula e os aprendizados adquiridos. Arrisque-se, ouse, desafie-se. No final da vida nós só nos arrependemos daquilo que abandonamos. Quer uma dica? Não perca de vista as suas paixões! A motivação é algo interno e acima de tudo autoconhecimento, encontre na sua essência o que de fato o motiva. E como dizia
Dostoiévski: “O segredo da existência humana consiste em não somente viver, mas ainda encontrar o motivo para viver”. E você já encontrou sua motivação?

Como superar a autossabotagem e as doenças corrigindo a REVERSÃO PSICOLÓGICA

Autossabotagem, procrastinação, crenças limitantes e baixa autoestima são barreiras para toda e qualquer realização pessoal. Até mesmo doenças físicas se tornam mais resistentes à cura quando a pessoa está nesse estado. Todos esses conceitos se resumem a um único fenômeno descoberto na década de oitenta pelo psicólogo clínico Roger Callahan (1925/2013), criador e desenvolvedor da TFT (Thought Field Therapy) ou Terapia do Campo do Pensamento.

Leia mais…

Seja empático

Em termos simples empatia é a habilidade de colocar-se no lugar do outro. Você é sensível a ponto de compreender emoções e sentimentos de outras pessoas? A empatia pode sim ser aprendida, ou pelo menos, treinada, no entanto é necessário passar pelo exercício do autoconhecimento para, aí sim, compreender a emoção do outro, a partir do momento que você for capaz de entender o que se passa na sua própria cabeça será capaz de perceber emoções e sentimentos de outras pessoas. Mas, por que nos colocar no lugar do outro? Porque somos humanos e nos reconhecer no próximo é a maneira de termos uma boa convivência social que nos possibilita entender mais ainda as emoções e necessidades de cada um, fato que se torna indispensável quando se vive em comunidade. Ser empático interfere diretamente em nosso sucesso profissional e pessoal, porém ser uma pessoa empática torna-se um grande desafio tendo em vista que somos imperfeitos e temos uma grande probabilidade em cometer erros e pensar apenas em nós mesmos. Isso deve-se à forma como fomos educados e por influência de outras pessoas que não se importam com os sentimentos e dificuldades de seus semelhantes. Ter empatia é entender que as pessoas são diferentes, sofrem e reagem de modo diferenciado umas das outras, mas que precisam ser ouvidas, compreendidas e acalentadas, afinal a atitude mais nobre de um empático é a capacidade de sentir uma dor que talvez jamais irá vivenciar. Tentar entender os sentimentos e as necessidades dos outros mesmo vivendo em um mundo tão egoísta e conturbado nos torna menos individualistas e, com isso, ganhamos motivação para fazer o bem e cultivar valores indispensáveis em todos os aspectos da vida. Você concorda com o meu ponto de vista?

« Older posts

© 2019 Literare Books

Theme by Anders NorenUp ↑